Pico das Agulhas Negras – Um clássico do PN Itatiaia

Com 2791m de altitude, é o ponto culminante do estado do RJ, o quarto mais alto de MG e o sexto do país. O rio Preto, que possui 222km de extensão e serve de divisa natural entre os estados de RJ e MG, tem sua nascente no Agulhas Negras. A escalada até ao topo foi primeiro tentada por Franklin Massena em 1856. Outras tentativas falhadas foram feitas por André Rebouças em 1878 e Horácio de Carvalho em 1898, mas o cume só foi atingido em 1919 por Carlos Spierling e Osvaldo Leal. (Fonte: wikipedia)

O nome Pico das Agulhas Negras vem da presença de muitas ranhuras em sua face, vindo a sombra fina e escura remeter ao desenho de agulhas. O maciço do Itatiaia revela camadas profundas de um antigo vulcão, cujo processo erosivo de milhões de anos continua até hoje e pode ser visto nesses sulcos e ranhuras que o formam. (Fonte: www.icmbio.gov.br/parnaitatiaia)

Como chegar no PNI – Parque Nacional de Itatiaia

O acesso ao pico das Agulhas Negras é feito pela a BR-354, estrada federal mais alta do Brasil, que chega a uma altitude de 1 670 m na entrada do parque nacional e faz divisa entre os estados do Rio de Janeiro e de Minas Gerais, num ponto chamado de Garganta do Registro. Essa estrada liga o distrito de Engenheiro Passos, localizado no município de Resende, ao município de Itamonte (Minas Gerais). O pico pode ser avistado desde a Via Dutra, na altura da região noroeste do município de Resende. (Fonte: wikipedia)

Nosso role

Há tempos e tempos que eu queria subir o Agulhas, meu queridinho em termo de montanhas, com suas lindas ranhuras! E dessa vez rolou e a companhia e o céu azulzinho não poderiam ser melhores ♡♡♡☆☆☆ E lá fomos nós, Thiago, Vania, Michel, Clóvis, Brunielli, Anderson, eu e o guia Rafael, depois de ter feito Couto x Prateleiras no dia anterior e de termos nos acabado de comer na Cabana do Clóvis.

O início da trilha se dá no abrigo Rebouças (é possível ir até ele de carro) e é o mesmo de outras travessias, como Serra Negra e Rebouças x Mauá, desviando em direção ao Agulhas.

Ao meio dia finalmente chegamos no cume, e levou um tempo pra cair a ficha de que eu realmente estava lá! Era algo que eu desejava muito! ♥

Infelizmente não fomos no ponto onde se assina o livro, o guia disse que como atrasamos para chegar no parque iria ficar tarde para voltar. Para acessar o livro é necessário fazer uma escalada (dessa vez de verdade, não uma simples escalaminhada) e depois descer de rapel. Aproveitamos para comer ao som de gaita! Tinha um carioca lá que tocava muito! Acho uma perfeita combinação: montanhas e gaitas.

Começamos a descer às 13 horas, e dessa vez houve mais emoção hehe Logo após o cume, em um trecho que subimos com apoio de corda na ida, agora descemos por uma via paralela de rapel, coisa de uns 20 metros! Por essa eu não esperava 😯

 

Enquanto eu descia, o Clóvis começou a gritar que estava passando um ovni :O Depois a Vania entrou em contato com um amigo para ver se podia ser a estação espacial, mas ele disse que não havia registro de ela estar visível naquela hora, ou seja… 😯

Todo mundo no chão, seguimos desescalaminhando Agulhas abaixo. Uma hora tinha uma canaleta (formada pelas ranhuras do Agulhas), que estava bem inclinada para descer, ai o guia orientou o Thiago para descer sentado com as pernas cruzadas. Ele foi que foi. Na minha vez óbvio que não deu certo né! Logo no começo fui escorregando e aproveitei pra fazer daquilo um escorregador. Diliça hehe O Thiago foi desesperado me parar, senão eu já nem precisava fazer o próximo rapel 🙂

O segundo rapel foi chato. Não sei porque o guia não quis colocar a cadeirinha, ele simplesmente laçou nosso peito e bora descer assim mesmo. Eu fiquei nervosa de descer dessa forma, aí fui super tensa, e já viu né 🙁

 Passado o sufoco foi só terminar de desescalaminhar e partir pra casa… Estava encerrada minha conquista pessoal do Agulhas  😀 Agradecimentos à galera, pois sem eles com certeza esses roles não fariam eu ter o mesmo brilho nos olhos 😀 Em especial ao Clóvis por ter nos acolhido mais uma vez em sua Cabana da Mantiqueira ♥


Pico das Agulhas Negras: 2791 metros (6º mais alto do país)

Percurso: 4.5 km

Duração: 7 horas

Local: Parque Nacional do Itatiaia – Cidade de Itatiaia / RJ

Gastos: entrada no parque (R$14,00), guia (de 70 a 100$) e transporte a partir da sua cidade.

Guia: é necessário contratar um guia pela dificuldade da escalaminhada e trepa-pedra, e também porque há trechos de rapel. O preço é a partir de 70$ e é necessário confirmar se a subida ao livro do cume está inclusa, pois é um trecho bem técnico com escalada e rapel, e costumam cobrar a parte. No face há vários guias para entrar em contato ou mandar e-mail ao parque solicitando o contato de algum (parnaitatiaia.rj@icmbio.gov.br).

Dificuldade: recomendado para quem já tem um pouco de experiência com escalaminhada e rapel, ou iniciantes que não tenham pavor de fazer essas coisas. É sempre bom nesses casos pesquisar a dificuldade do rolê e deixar bem claro para a galera o que vão encontrar.

O que levar: mochila de ataque, água, lanche, proteção solar. É importante subir bem leve. Ir com bota de solado aderente e calça maleável.

3 Replies to “Pico das Agulhas Negras – Um clássico do PN Itatiaia”

  1. Paykasa, 16 haneli pin kodundan oluşan, daha önce çok yaygın olarak kullanılan bir ön ödemeli kart türüne benzeyen, içerisinde euro bakiyesi olan bir ön ödemeli sanal karttır. İçerisindeki bakiyeler özel olarak üretilemediği için standart kart bakiyeleri 10, 20, 50, 100, 150, 250 tek kart bakiyesi olarak satılmaktadırlar. Tek kullanımlık bir kart olan paykasa kart, kullanılan sitede kartın bakiyesini girmenize gerek kalmadan sadece 16 haneli tek kullanımlık koduyla işlem yapmanıza olanak sağlamaktadır.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.